Lista de compras futuras

Você já deve ter ouvido o termo “wishlist”. Se não está familiarizado, nós explicamos: a wishlist é uma lista de desejos, de coisas que alguém (quem fez a lista) quer comprar. A ideia da lista é muito boa e nós já explicaremos porquê, mas antes precisamos mudar um pouco esse conceito e dar um novo nome: lista de compras futuras.

Mas qual o problema da wishlist?

pexels-photo-291762.jpeg

Por que precisamos mudar o nome da pobre lista? Simples: porque não faz sentido uma lista de coisas que desejamos, já que nós desejamos praticamente tudo que existe nesse mundo! E a publicidade usa da nossa noção deturpada de necessidade para nos impor desejos que não acabam mais.

Acontece que nós, pessoas conscientes de que não podemos e nem precisamos ter tudo, optamos pelo consumo de valor e por gastar nosso valioso dinheirinho com coisas realmente significantes para nós. Assim, entendemos que faz muito mais sentido elaborarmos uma lista de compras futuras, ou seja: não responderemos a pergunta “o que eu quero comprar?”, mas “o que eu irei comprar?”

O conceito da lista de compras futuras

pexels-photo-826349.jpeg

Agora entramos no conceito da nossa querida lista: colocaremos nela os produtos e serviços que já passaram por um processo de amadurecimento após o qual decidimos pela compra. Por exemplo: você quer ter um guarda-roupa eficiente e já sabe o que deve conter nele? Mande para a lista! Você se interessou por um livro, por uma bebida, por um sapato e, depois de uma análise séria, chegou à conclusão de que vale a compra? Já para a lista!

Perceba que o critério para participar da lista nada tem a ver com a essencialidade do bem. A ideia não é anotar apenas coisas que precisamos para nossa sobrevivência, mas coisas que serão consumidas com consciência. Entrarão na nossa lista de compras futuras os objetos, serviços e experiências que nos serão realmente significativos. Ou seja, que obedece ao conceito de consumo de valor.

Importância da lista

pexels-photo-906100.jpegE para quê nos serve essa lista, na prática?

Primeiro: como uma das estratégias para conter o impulso de gastar. Pensar no preço desses produtos realmente significativos para nós nos ajudará a não comprar coisas que não constem lá.

A segunda vantagem que essa lista nos traz é que ela pode ser utilizada para economizarmos na compra do bem. Quando você sabe o que vai comprar pode acompanhar o preço e efetivar a compra quando for mais vantajoso. Não é uma prática essencial e que deva ser objeto de preocupação, mas é a única forma que entendemos ser possível de aproveitar promoções.

Por fim, a lista de compras futuras ajuda a nos manter focados. No dia a dia nós encontraremos e desejaremos muitas coisas que não fazem parte da lista. É nesse momento que devemos escolher entre ser um consumista ou praticar o consumo de valor. Em outras palavras: consumir pelo simples desejo ou consumir para nos tornarmos pessoas melhores. Pensando assim fica fácil decidir pelo não consumismo porque estaremos poupando para outra coisa com muito mais valor (no sentido monetário ou não).pexels-photo-413735.jpeg

O importante é lembrar que nossos bens podem se perder, mas o que eles nos proporcionaram vira parte de nós; pode ser um prazer fugaz ou um crescimento pessoal, e essa decisão cabe a cada um de nós, em cada gasto que fazemos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s